Métodos Não Destrutivos

TUBO CRAVADO

A - Furo Piloto

O furo piloto permite a instalação de redes em concreto ou PEAD de pequenos diâmetros e pequenas extensões. Com a construção de pequenos poços de serviço, onde o cravador é instalado em um poço de emboque (2,10 metros de diâmetro) e através de uma haste rígida, o piloto é inserido até o poço de desemboque. A partir deste ponto, a rede final já pode ser instalada. Quando necessário, alargadores são utilizados para a instalação de redes de até ø400mm. É um procedimento mais indicado para regiões onde não há área adequada para a utilização de Furo Direcional.

B - SlurryShield

Dentre o método não destrutivo, sem dúvida é o que apresenta maiores vantagens, e por isto vem dominando de forma crescente o mercado internacional, conhecido também como processo PipeJacking, ou de Tubos Cravados, que utiliza equipamentos denominados Shields, projetados especialmente para construção de túneis.

É uma alternativa vantajosa e prática para instalações subterrâneas, porque preserva a superfície enquanto cruza obstáculos impossíveis de serem transpostos pelo sistema tradicional, como linhas férreas, córregos, estradas, avenidas, aeroportos, fábricas e edificações, cujo remanejamento poderia ser demorado, altamente oneroso e até mesmo inviabilizar a instalação da tubulação planejada.

O método é mais comumente utilizado para a cravação de tubos de concreto, mas a Aliter já possui tecnologia aprimorada para executar redes em aço para água com o método em SlurryShieldMachine (Adutora Mooca-Cambuci).

HDD

É utilizado para a instalação de novos dutos e tubulações e não para reparos ou manutenções. Normalmente, utiliza-se PEAD - polietileno de alta densidade, ou aço para esses novos tubos. O Perfuração Horizontal Direcional (HDD) é realizado após um estudo minucioso do solo, onde a tubulação será instalada, ou seja, é necessário identificar o caminho que esta perfuração deverá percorrer. Além disso, também é preciso conhecer as interferências do solo, como, por exemplo, se ele é rochoso, o que exigiria um equipamento específico para a perfuração. Indica-se que HDD seja utilizado para diâmetros até 600 mm, em área urbana.

NATM

É uma maneira segura e muito eficiente de construir túneis. Basicamente, logo após a escavação parcial do maciço é instalada a estrutura de suporte. Esta estrutura é realizada com concreto projetado e complementada, quando necessário, por tirantes e cambotas. Nesta metodologia, que à primeira vista parece simples, estão embutidos conceitos fundamentais.

REABILITAÇÃO

A - SlippingLine (Inserção): O trabalho de SlippingLine consiste em realizar a limpeza do conduto existente, e posterior recuperação do mesmo através de inserção de tudo de PEAD soldado. É um processo muito utilizado e vantajoso para o cliente, pois não exige a instalação de um conduto novo.

B - CIPP: É uma técnica para recuperar tubulações danificadas, normalmente subterrâneas. Por se tratar de um método não destrutivo, não há necessidade de escavações. As tubulações a serem restauradas podem ser de água pluvial, esgoto sanitário e efluentes industriais. O método reforça estruturalmente a tubulação original e dá alta resistência contra os efeitos da corrosão e da abrasão.

C - Pipebursting: Neste método, a tubulação a ser substituída é quebrada pelo equipamento e os fragmentos são compactados no solo ao redor ao mesmo tempo que uma tubulação nova é instalada. A tubulação nova poderá ser de mesmo diâmetro ou maior que a antiga. O deslocamento do equipamento e o controle da força de ataque é auxiliado pelo uso de um guincho especial.